Blog BabyLo
primeira escolinha
Nosso Bebê

Primeira Escolinha. Como fazer a melhor escolha?

Hoje vamos falar um pouco sobre a primeira escolinha e algumas dicas de como escolher. Estamos pesquisando muito em casa sobre a melhor opção para o Lorenzo, e acabei fazendo algumas buscas na internet para entender este momento, tão importante e que requer atenção máxima dos pais. Posso confessar? Nem acredito que já estamos nesta fase…ontem nasceu, hoje já está quase indo pro colégio. É pessoal, o tempo passa…o tempo voa.

Primeira Escolinha. Qual o melhor momento?

Acho que não há este momento, o que temos são necessidades de cada criança e cada família. Em muitos casos, as mães e pais voltam a trabalhar poucos meses após o nascimento do bebê e precisamos colocá-los ainda muito pequenos em maternais, em outros casos, os pais voltam a trabalhar cedo mas possuem um familiar (avós, tios) que podem ficar com as crianças – este é meu caso. Lorenzo desde que voltei a trabalhar, fica com a avó – no caso minha mãe. É super confortável para mim esta posição pois recebo notícias dele o dia todo, no momento em peço estão prontos a me encaminhar fotos/ vídeos aquelas coisas fofas….mas os avós também têm vida né pessoal? Além de cansarem…Lorenzo está com 1 ano e cinco meses, e cada dia mais impossível/ inquieto/ curioso/ arteiro ahahahaha, logo, precisa de amigos e atividades que estimulem mais o desenvolvimento físico e cognitivo dele.

Por isso decidimos que antes do meio do ano ele deve entrar para a escolinha, e começamos as buscas…e as dúvidas….

Como buscar e definir o melhor local?

Fiz uma busca por escolinhas nos bairros próximos a minha casa e ao trabalho do marido, assim teremos um fácil deslocamento ao deixá-lo e também caso ocorra de precisarmos ir até a escola em algum momento fora do horário habitual, será perto e fácil. Outra coisa que temos de entender e observar com muito cuidado, é o projeto pedagógico da escola; se a escola tem a ver com o dia a dia família (se não temos hábitos totalmente ecológicos e históricos agrícolas, não adianta matricular a criança em um colégio assim e não refletir em casa); procurar entender também quais são as atividades desenvolvidas na escola, se eles possuem aulas que estimulam a criatividade; o relacionamento amigável e sadio com os coleguinhas.

primeira escolinha

Conhecer os professores e a direção é fundamental, quantos anos trabalham com crianças e como é o funcionamento da escola. Além de conversar com a equipe da escola, é bom também falar com os pais para saber da visão deles do ambiente. Entender o método de ensino; práticas; alimentação; na prática mesmo, com as crianças.

primeira escolinha

O Lorenzo ainda usa fraldas e não come sozinho, é importante também, saber como eles lidam com este momento. Se as crianças que ficarão com ele na sala são do mesmo nível de idade e conhecimentos que ele, para que não se sinta excluído em algum momento….porque o que não podemos deixar acontecer é a criança se sentir deslocada e acabar se fechando, e não interagindo. Outro ponto importante, é saber quantas crianças ficaram na mesma sala e quantos professores vão cuidar delas – porque as crianças fazem coisas inesperadas numa fração de milésimos de segundo ahahaha.

Segundo o Conselho Nacional de Educação, cada um deve cuidar, no máximo, de seis a oito crianças de até 2 anos, de 15 crianças até 3 anos e de 20 crianças de 4 até 6 anos. Muitos pais podem temer algum descuido com o filho. No entanto, é preciso compreender que uma escola é bem diferente do zelo típico do ambiente familiar: lá as crianças vão ter de dividir a atenção e esperar em alguns momentos, mas há a vantagem de receber cuidados profissionais e conviver, desde cedo, com outros meninos e meninas da mesma idade.

E os valores?

Muito importante este ponto, afinal estamos em um momento muito difícil econômico e não podemos esbanjar. Nem sempre a escola mais cara traz vantagens significativas. Às vezes, a que cobra mensalidades mais em conta e segue uma proposta pedagógica interessante é melhor do que a cara e com prédio sofisticado. Vale observar se o preço pago corresponde, por exemplo, a espaços bem equipados (não necessariamente com luxo) e professores bem formados. A equipe precisa fazer cursos continuamente e, de preferência, financiados pela própria instituição. Essa é uma das principais diferenças de uma escola de qualidade.

Bom pessoal, por aqui seguem as buscas e as pesquisas sobre o melhor local para ser a primeira escolinha do Lorenzo. Como foi este momento com vocês? Me contem. E se ainda estão chegando nele, como eu, o que estão fazendo?

Beijos, :*

13 comments

  1. Olha adorei a dica, Melzinha esse ano vai para a escolinha, e eu já estou procurando uma pra ela, tem uma aqui em frente de casa que é muito boa estamos aguardando vaga rs tomara que dê certo.

  2. Esse é um momento muito especial e delicado. Já abordei isso no blog tb, e sobre as diversas pedagogias…
    Mas de fato, o berçário e a escola de educação infantil devem ser como uma extensão da casa, no sentido de valores e crenças, para que não haja conflito e confusão na cabecinha da criança.

  3. Realmente esse tema mexe com a cabeça de nós pais.
    Eu optei por uma escola mais alternativa, por ele ser tão novinho.
    O meu estuda em escola Waldorf, e eu não tenho o que reclamar.
    É uma pedagogia alternativa as que estamos acostumadas, mas é enriquecedora.

  4. Adorei o Post, realmente não é uma coisa fácil escolher escola, aqui pesquisei bastante, fui visitar, observei como era tratado os alunos e como éramos tratados

    Bjs Mi Gobbato

  5. É um momento muito difícil da escolha da escolinha. Na minha época eu também optei por uma que fosse perto de casa e que estive alinhada com os valores da família. A época varia de criança para criança e da necessidade da família. Aqui em casa cada filha foi em uma época diferente.
    beijos
    Chris

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: