Blog BabyLo
gripe h1n1
Nosso Bebê

Gripe H1N1: O que devemos saber?

Mamães e papais acho que todos, assim como eu, devem estar bem preocupados com este falatório sobre a Gripe H1N1. Antes de termos filhos não damos muito bola para isso, vamos ser sinceros, mas quando temos uma pequena pessoinha dependendo de nós e totalmente indefesa nesse mundo, a preocupação cresce de forma exponencial.

Gripe H1N1: O que devemos saber?

Sempre achei que os sintomas da gripe H1N1 e do resfriado que já tive várias vezes fossem quase idênticos, e ai me perguntava como saberia? Como saber se a meia dúzia de espirros que nossos bebês dão durante o dia são indícios de ir depressa consultar o médico, ou se apenas com cuidados básicos em casa podemos dar um jeito na situação?

Então primeiro vamos conhecer os sintomas e suas diferenças principais:

gripe h1n1

Vi também, uma entrevista do médico Drauzio Varella, onde ele dizia: não corram para os postos de saúde, lá podemos ‘pegar’ vírus que se ficássemos em casa nos cuidando com sopa quente e descanso, não teríamos.

Outro detalhe importante, quando tomam a vacina contra a gripe pela primeira vez, as crianças precisam de duas doses, com 30 dias de intervalo. Se seu filho já tomou a vacina contra a gripe alguma vez, precisará apenas de uma dose. Então, os bebês assim como o meu, que tomará sua primeira dose agora no dia 25/04 (sim, se você ainda não tem conhecimento, o Ministério da Saúde antecipou a campanha nacional de vacinação do dia 30 para o dia 25/04 para todos que estão incluídos nos grupos de risco), e depois desta data terei que me informar com a pediatra dele, como faremos a segunda dose.

Mamães onde os filhos ainda não chegaram aos seis meses de idade, e portanto, não podem tomar a vacina é importante cuidar dos adultos…sim, vocês terão que tomar a vacina e tomar todos os cuidados em casa para que a gripe não chegue aos bebês.

Como cuidar dos bebês?

Eu sei que é muito chover no molhado, mas é super importante lembrar: lave bem as mãos para lidar com os bebês, não deixe que pessoas chegadas da rua toquem nas mãozinhas dos bebês – elas estão sempre na boca deles, e para entrar um vírus é “um doce” – se está resfriado, evite o contato muito próximo, eles têm o sistema imunológico muito frágeis e pegam os nossos resfriados (aqui em casa, meu marido ficou gripado, no dia seguinte o Lorenzo já estava espirrando e fungando junto com ele, todo cuidado é pouco).

Parece neura, mas deixe o álcool gel à disposição na entrada da casa, e não tenha vergonha em pedir que as pessoas usem quando forem na sua casa, afinal, esta doença é perigosa e poder levar tanto adulto quanto crianças ao óbito.

 

Tenham muito cuidado, cuidem de seus bebês e de sua família também. Qualquer indício dos principais sintomas, procure o seu médico, e não deixem para levar seus filhos na última hora para a vacinação, lembrando que somente após 2 ou 3 semanas da vacina  é que ela começa a fazer efeito e imunizar de fato.

Beijos.

2 comments

  1. Minha filha tem 6 anos e não tomou a vacina ela corre algum risco? Sendo que ele sempre tomou todas vacinas das campanhas e ouvi dizer que essas vacinas como Tretavalente ,Rotavírus e Tríplice Viral também imunizar contra a H1N1.

    Silvania Santos

    1. Oi Silvânia, tudo bem?! Acho que quanto mais podermos deixar nossos filhos imunizados melhor. Meu bebê também já tomou todas as vacinas, e eu optei por também lhe dar a H1N1..Antes pecar pelo excesso, eu acho. Mas é claro que, se você, como mãe, achar melhor não dar esta vacina….converse bem com seu pediatra. Mal a vacina não trará, o máximo que pode ocorrer é uma reaçãozinha leve (um resfriadinho). Beijos.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.