Blog BabyLo
educar seu filho desde gestação
Colunistas Psicóloga

Como Educar seu Filho desde a Gestação

Além de Psicóloga, sou mãe de 2 filhos (2 e 5) que são a principal razão das minhas escolhas de vida dos últimos anos. Por eles também acabei me interessando muito sobre o tema Pais e seus filhos da nova geração. Acabei me tornando além de curiosa uma árdua pesquisadora do assunto e vou compartilhar com vocês aqui um pouco do que venho aprendendo.

Sem fórmulas mágicas, nem respostas prontas, o que vocês encontrarão nos textos serão muitas perguntas e afirmações que nos convidam a reflexão.

Quando forma-se um ‘Serzinho’…

Dada a importância da situação, inicío esse texto lembrando a todos que, ter um filho é um compromisso para toda a vida, jamais deve ser uma decisão de momento. E é a partir do momento que um casal decide ter um filho que já, em seu imaginário, essa criança passa a formar-se. No entanto, existem os casos em que a gravidez não foi planejada, então é no momento que a mulher descobre que está grávida que esse novo “Ser” começa a existir.

Na descoberta da gravidez, sendo ela desejada ou não, muitas mudanças começam a acontecer, mudanças essas biopsicossociais. O corpo da grávida passa por um longo, lento e intenso processo de transformação. Além disso ocorrem também mudanças no seu bem-estar, impactando não apenas a vida da gestante como também seu contexto familiar. A mulher, assim como também o pai, começam a se preparar para a mudança no seu papel social, passando agora de filhos para pais.

Como Educar seu Filho desde a Gestação?

Maldonado (1988) ressalta que a gravidez é uma transição que faz parte do processo de desenvolvimento e envolve a necessidade de reestruturação em várias dimensões; uma delas é a mudança de identidade e a nova definição de papéis.

Então, podemos definir esse período gestacional como um período muito intenso e rico de vivências emocionais, com grande carga de ansiedade e preocupações. Em função de todas essas alterações, é de suma importância avaliar além do acompanhamento médico que se faz necessário pelo pré-natal, também a necessidade de acompanhamento/orientação psicológica à gestante ou ao casal gestante. Não podemos deixar de lembrar aqui que a 1º escola de uma criança é o ventre da mãe, também por isso se torna tão importante que o processo da gestação se desenrole de forma natural e tranquila.

Passada a fase gestacional, vem então o puerpério (li um comentário certa vez que, se essa fase fosse fácil não se chamaria puerpério), fase fundamental de adaptação logo após o parto. Momento de lidar com as outras novidades, criança em casa, cuidados, confusão de sentimentos, ansiedade, como diriam os antigos ‘Nervos à flor da pele’, no entanto etapa necessária de desenvolvimento e aprendizado, que transforma a vida de todos envolvidos com aquele novo “Serzinho”.

Depois de passados os primeiros dias, em alguns casos até meses, começamos a nos sentir mais preparados e fortes para lidar com essa nova realidade, esse novo contexto familiar. Então surgem novos desafios…

Diferenças entre Pais e Mães

As diferenças de criação da mãe e do pai, que influenciam diretamente a forma como cada um educa o filho, começam a aparecer de maneira mais gritante e em alguns momentos até conflitantes tão logo a criança vai crescendo e interagindo de forma mais intensa com os demais.

E como lidar com isso?

Na verdade não existe fórmula mágica. Mas a principal dica é sempre pensar primeiro na criança e não em si mesmo. E mais importante de tudo: AMAR de forma incondicional.

Além disso existem algumas ações que podem ser tomadas que ajudarão muito:

  • Sempre diga à verdade aos filhos;
  • Brinque muito com seu filho e;
  • Deixe ele brincar, pois é principalmente quando brincam que eles aprendem;
  • Também é importante que a criança se movimente, e durma;
  • Dê o exemplo, faça aquilo que diz. Com criança a famosa frase “faça o que digo, mas não faça o que faço” não funciona;
  • Estimule a independência do seu filho. Permita que ele faça escolhas, mas não esqueça, também é necessário deixa-lo assumir as consequências delas.
  • Exija sim do seu filho, mas apenas aquilo que ele pode dar;
  • E quanto a você: atenda às necessidades dele;
  • Crianças não deveriam ser humilhadas nunca. Elas não aprendem nada de bom com isso, ao contrário desenvolvem uma baixa alto-estima;
  • Dê mais ênfase, elogie mais o positivo, do que corrija o negativo;
  • E confie no seu filho, e demonstre isso a ele.

Educar é uma atitude de consciência e responsabilidade, esse momento é crucial e imperativo para formação dos futuros adultos que farão parte da sociedade. Portanto precisamos buscar novas alternativas que nos possibilitem dedicação ao que fazemos.

A importância da educação é revolucionária, pois a medida que se educa, as pessoas tornam-se capazes de criticar, denunciar, renunciar, deixam de ser massa de manobra. Formam-se então pessoas integras, incorruptíveis. Portanto o papel dos pais e educadores é fundamental precisamos aprender a escutar o outro e também aprender a assumir responsabilidade pelas coisas.

Posso presumir que se você leu esse texto até aqui é porque tem muito interesse, fator essencial para cumprir bem o seu papel, assim como a boa intensão. Mas sobre isso falaremos mais nos próximos posts…

Texto:

elisandra-psico

 

O que acharam do texto mamães? Bastante reflexivo né?

10X MAIS COLORIDO! Mês das crianças 10x mais colorido
Pagamentos em até 10x sem juros* em toda Lojinha Online. Aproveite! Validade: 8/10

Aguardem os próximos!!!

Beijos, :*

3 comments

  1. Nosso exemplo é tudo nessa vida. Há estudos que o nosso comportamento, durante a gestação, se mostra na vida da criança, por isso o amor é tudo! Com amor somos melhores pessoas, e com certeza educaremos melhores tb. Beijos!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *